Telefônica amarga queda de clientes Speedy no 3o tri

quarta-feira, 11 de novembro de 2009 12:56 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Telefônica perdeu 149 mil clientes de banda larga nos três meses até setembro, ou 5,5 por cento do total de sua base de assinantes do serviço Speedy no final de junho, depois que a empresa foi proibida de comercializar o produto por cerca de dois meses enquanto implementava melhorias na rede.

A unidade brasileira do grupo espanhol Telefónica divulgou nesta quarta-feira que fechou o terceiro trimestre com 2,578 milhões de clientes de banda larga, ante 2,727 milhões no segundo trimestre.

Em junho, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) proibiu a Telefônica de vender seu serviço de acesso rápido à Internet no país depois de uma série de interrupções no Speedy em meses anteriores.

Durante cerca de dois meses, a operadora fez investimentos para estabilizar o Speedy, melhorar a qualidade do produto e ampliar a capacidade da rede.

Conforme o balanço do terceiro trimestre divulgado nesta quarta-feira, as receitas com transmissão de dados recuaram 1,5 por cento na comparação com o segundo trimestre, para 1,055 bilhão de reais. Em relação a um ano antes, houve evolução de 11,8 por cento, impulsionada pelos segmentos corporativo e residencial.

A proibição da venda de acesso rápido à Internet também puxou para baixo a base de clientes de TV por assinatura da Telefônica do segundo para o terceiro trimestre. A empresa encerrou setembro com 508,2 mil usuários de televisão paga, queda de 1,2 por cento em relação ao final de junho.

"Em comparação ao terceiro trimestre de 2008, o aumento de 19,6 por cento foi inferior ao registrado em trimestres anteriores, como conseqüência da suspensão da comercialização do serviço Speedy, uma vez que este serviço é majoritariamente comercializado através de trios (pacotes de telefonia, banda larga e televisão)", conforme a Telefônica.

Segundo a empresa, a satisfação de novos clientes do Speedy "registrou uma melhora expressiva, além de uma forte redução do número de reclamações" após a retomada das vendas do serviço no final de agosto.

A receita líquida total da Telefônica no terceiro trimestre ficou em 3,910 bilhões de reais, queda de 4,6 por cento na comparação com um ano antes.   Continuação...