Anatel impõe condições para Telefônica comprar GVT

quinta-feira, 12 de novembro de 2009 20:20 BRST
 

Por Fernando Exman e Cesar Bianconi

BRASÍLIA/SÃO PAULO (Reuters) - A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) concedeu nesta quinta-feira anuência prévia para que a Telefônica ou a Vivendi sigam adiante na tentativa de comprar a GVT.

No caso da Telefônica, controlada pelo grupo espanhol de mesmo nome, a autarquia impôs restrições.

"A Anatel viu a necessidade de estabelecer essas condicionantes para evitar que haja problemas de competição", afirmou a jornalistas o presidente da agência, Ronaldo Sardenberg.

Pela decisão do órgão regulador, a Telefônica terá de manter estruturas administrativas, comerciais e operacionais independentes por cinco anos se for bem-sucedida na proposta de aquisição da GVT. Além disso, terá que preservar a marca GVT e manter gestões financeiras autônomas durante igual período.

Conforme Sardenberg, a Telefônica poderá, passados dois anos, solicitar a reavaliação das restrições.

Três conselheiros da Anatel foram favoráveis à decisão e um quarto que pedia mais análise técnica do caso acabou sendo voto vencido.

"O resultado a que chegamos é um resultado prático, até pragmático no sentido de que permite o andamento da questão", afirmou Sardenberg.

Ainda de acordo com o presidente da Anatel, o colegiado da autarquia não impôs condições à Vivendi porque ela não opera no Brasil. "É uma entrante, então a situação dela é objetivamente diferente da situação da Telefônica", resumiu Sardenberg.   Continuação...