Videogame Call of Duty vende 550 milhões de dólares em 5 dias

quarta-feira, 18 de novembro de 2009 16:46 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - A Activision Blizzard afirmou que seu novo videogame "Call of Duty: Modern Warfare 2" teve venda recorde de 550 milhões de dólares nos primeiros cinco dias, mas a empresa ainda está preocupada com os fracos dados de gastos do consumidor.

O jogo, que segue a linha dos games de "atirador em primeira pessoa", em que o jogador é um soldado de elite caçando alvos em locais que variam da América do Sul ao Afeganistão, superou "Grand Theft Auto IV", da Take-Two Interactive Software, maior sucesso de 2008, que vendeu mais de 500 milhões de dólares em sua primeira semana.

A Activision não informou quantas unidades foram vendidas no período. Na semana passada, a empresa disse ter vendido 4,7 milhões de cópias do jogo, gerando 310 milhões de dólares em seus primeiros dias de vendas nos Estados Unidos e no Reino Unido.

As estimativas de vendas de analistas para o jogo de 60 dólares ficam em torno de 11 a 13 milhões de unidades até o final de 2009. Há muito em jogo para a Activision uma vez que o "Call of Duty" deve representar uma boa parte de seu lucro no quarto trimestre, disseram analistas.

As ações da empresa, que subiram 35 por cento, chegando a superar sua principal concorrente, a Electronic Arts, que aumentou 11 por cento, teve valorização de 0,05 dólar no início da sessão nesta quarta-feira, para 11,74 dólares.

Ainda assim, o presidente-executivo da Activision, Bobby Kotick, está atento à economia fraca, que afetou a indústria de videogames este ano, com a hesitação entre consumidores em comprar ou não consoles e softwares.

"Apesar do sucesso do 'Call of Duty: Modern Warfare 2', a Activision Blizzard continua cautelosa em relação às economias norte-americana e global, além de outras variáveis que poderiam afetar as bases da indústria e nosso próprio desempenho, incluindo os gastos do consumidor, que continua sendo uma preocupação significante", disse em comunicado.

(Reportagem de Franklin Paul)

 
<p>F&atilde;s fazem fila para comprar o game "Call of Duty: Modern Warfare 2" em seu lan&ccedil;amento, no dia 10 de novembro, em Nova York. REUTERS/Lucas Jackson</p>