Twitter pode abrir capital, mas não há intenção de venda

segunda-feira, 23 de novembro de 2009 18:08 BRST
 

OXFORD, Inglaterra (Reuters) - O Twitter, rede social online que segue tendências do momento através de mensagens publicadas na Internet por usuários sobre eventos que presenciam, pode buscar financiamento no mercado de ações, caso seja necessário, disse seu co-fundador Biz Stone.

A jovem empresa, de apenas três anos, já está gerando receita e deve focar nisso para o ano que vem. "O ano de 2010 realmente será o ano da receita. Eu não sei se seremos lucrativos, mas temos muito tempo", disse Stone nesta segunda-feira.

Em setembro, o Twitter recebeu uma nova rodada de recursos de investidores, o que analistas afirmam ter aberto as portas para uma eventual oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) ou venda da empresa.

Segundo fonte com conhecimento do caso, o novo financiamento chegou a um total de 100 milhões de dólares, o que teoricamente dá um valor de mercado à companhia de 1 bilhão de dólares.

Stone afirmou a jornalistas que não quer vender a empresa, e que exploraria alternativas a uma oferta pública inicial.

"O fato é que queremos construir nossa própria empresa, uma que irá durar por um longo tempo. Se um IPO for a forma de fazer isso, então faremos", disse ele nos bastidores de um seminário sobre empreendedorismo.

"Definitivamente não estamos interessados em vender a empresa", disse. "Se um IPO for o único jeito, aí é claro. Mas se houver outro jeito, isso também seria ótimo. Talvez um outro jeito novo apareça", acrescentou durante o evento na Universidade de Oxford.

Stone não quis dar detalhes sobre como o Twitter irá apresentar aos seus usuários os anúncios no site a partir do ano que vem, mas deu uma dica de que será diferente das formas tradicionais de publicidade na Internet, que incluem anúncios nas páginas e buscas patrocinadas.

"Todo mundo vai adorar. Será incrível", disse ao ser perguntado sobre o perigo de seus milhões de usuários não gostarem da novidade.   Continuação...

 
<p>Twitter pode abrir capital, mas n&atilde;o h&aacute; inten&ccedil;&atilde;o de venda (foto de arquivo). REUTERS/Mario Anzuoni</p>