Co-fundador do LinkedIn considera como provável IPO da empresa

quarta-feira, 25 de novembro de 2009 10:43 BRST
 

Por Georgina Prodhan

LONDRES (Reuters) - O LinkedIn, o maior serviço mundial de redes sociais profissionais, provavelmente realizará uma oferta pública inicial de ações, mas não em um futuro próximo, disse o co-fundador e presidente do conselho executivo da companhia, Reid Hoffman, em entrevista à Reuters.

"Provavelmente chegará o momento em que essa será a solução certa. Mas isso não acontecerá em curto prazo", disse Hoffman em um evento da empresa realizado em Londres para marcar 3 milhões de usuários no Reino Unido.

O LinkedIn, com 53 milhões de membros em todo o mundo, é visto como forte candidato a uma oferta pública inicial de ações, especialmente agora que o mercado começa a se recuperar. Uma pesquisa recente da Reuters constatou que o serviço é uma das empresas mais elegíveis do Vale do Silício para uma abertura de capital.

O serviço, que permite que os membros administrem perfis profissionais online e os auxilia a encontrar contatos importantes de negócios ou novos empregos, levantou 76 milhões de dólares em capital durante uma recente rodada de capitalização, em 2008, quando a companhia foi avaliada como valendo 1 bilhão de dólares.

Desde então, o número de usuários da rede quase dobrou, e ela vem apresentando lucro nos dois últimos anos.

"Não gastamos um tostão de nossa última rodada de capitalização", disse Hoffman. "Creio que nossos números sejam bons o bastante para que não dependamos do mercado."

O LinkedIn conta entre seus investidores com Goldman Sachs, McGraw Hill, SAP Ventures e Bessemer Venture Partners.

Alguns meses atrás, o LinkedIn apontou Jeff Weiner, proveniente do Yahoo, para a posição de presidente-executivo. No mês passado, a empresa anunciou parceiras com Microsoft, Twitter e Research in Motion, a fabricante do BlackBerry.

Esta semana, o LinkedIn abriu sua API (interface de programação de aplicativos) a programadores externos, liberando o caminho para que os membros transfiram perfis da rede social a outros sites, o que pode ampliar o alcance e a utilidade da adesão ao serviço.

 
<p>Presidente do conselho da LinkedIn, Reid Hoffman, faz palestra em julho. O maior servi&ccedil;o mundial de redes sociais profissionais, provavelmente realizar&aacute; uma oferta p&uacute;blica inicial de a&ccedil;&otilde;es, mas n&atilde;o em um futuro pr&oacute;ximo, disse Hoffman.</p>