Europa quer aumentar proteção em sites de turismo

quinta-feira, 26 de novembro de 2009 16:24 BRST
 

Por Ana-Maria Tolbaru

BRUXELAS (Reuters) - A União Europeia estuda ampliar as regras para sites que vendem pacotes de viagens, em medida que visa proteger melhor o consumidor das falhas de agências de turismo.

O plano é uma resposta ao enorme aumento no número de pessoas que reservam viagens online, especialmente os chamados "pacotes dinâmicos", em que passagens de avião, hotel, locação de carros e outros serviços de agências diversas são todos comprados pelo mesmo site.

Os pacotes dinâmicos representam um terço de todas as vendas de viagens feitas na Europa, que em 2008 geraram um total de 246 bilhões de euros (370 bilhões de dólares), fazendo do continente o maior mercado de turismo regional do mundo, segundo a Comissão Europeia, braço executivo da UE.

As regras para pacotes de viagens da UE datam de 1990 --antes do advento da Internet-- e protegem o consumidor de perdas, cancelamentos e da falência de companhias aéreas, mas apenas nos casos em que passagens, hotel e outros serviços são contratados por uma mesma empresa.

"Precisamos de melhor proteção que dê a todos os consumidores que comprem um pacote de viagem a paz que merecem", disse a comissária do Consumidor da UE, Meglena Kuneva, em comunicado em que anuncia planos para um estudo de um ano para encontrar formas de melhorar as regras.

O número de cidadãos da UE que contratam pacotes dinâmicos em sites como Expedia e Opodo tem crescido rapidamente nos últimos dois anos, chegando a mais de 100 milhões de pessoas, segundo estatísticas divulgadas pela Comissão.

O processo envolve a compra de passagens através de um site, que geralmente redireciona o consumidor para outro site, onde pode fazer sua locação de carro e reserva de hotel e outros serviços.

Na Irlanda e na Suécia, cerca de 45 por cento de consumidores hoje planejam suas viagens com pacotes dinâmicos, muitas vezes sem perceber que ficam muito menos protegidos contra perdas do que com pacotes tradicionais.