Acer inicia vendas de seu 1o celular Android

sexta-feira, 27 de novembro de 2009 10:01 BRST
 

Por Tarmo Virki

HELSINQUE, 27 de novembro (Reuters) - A Acer começou a vender seu primeiro celular equipado com o sistema operacional Android, do Google, esta semana, e introduzirá novos modelos com a plataforma ano que vem, anunciou o presidente da divisão de telefonia da companhia.

A segunda maior fabricante mundial de computadores pessoais entrou no mercado de celulares este ano com 10 modelos, todos os quais, exceto o equipado com o Android, operam com Windows Mobile, da Microsoft.

"No ano que vem, o equilíbrio será bem maior", disse Aymar de Lencquesaing em entrevista à Reuters. "O Android claramente tem impulso. O ritmo de avanço é muito mais alto que se poderia antecipar um ano atrás", disse ele, acrescentando que a empresa não tem planos de usar outros sistemas operacionais.

O Android detinha 3,5 por cento do mercado mundial de celulares inteligentes no terceiro trimestre, ante zero no período um ano atrás, enquanto a participação de Microsoft caía de 13,6 por cento a 8,8 por cento no período, de acordo com o grupo de pesquisa Canalys.

De Lencquesaing afirmou que a Acer não tem planos de acompanhar os grandes fabricantes de celulares, que introduzem de 50 a 100 modelos novos a cada ano.

"Nosso ponto ideal é provavelmente de entre oito e 10 aparelhos, e com isso nos sentiremos confortáveis", disse.

O setor de celulares inteligentes, em rápido crescimento, se tornou campo de batalha entre os fabricantes tradicionais de celulares e os de computadores, com a Asustek, Hewlett-Packard, Lenovo e Dell também interessadas no mercado.

"Trata-se de um mercado lotado", disse de Lencquesaing, acrescentando prever quedas fortes nos preços dos celulares inteligentes, o que beneficiará fabricantes de computadores como a Acer.

"No setor de computadores, estamos todos acostumados a quedas acentuadas de preço. No final, quem sai ganhando é o consumidor, e isso expande o mercado", afirmou.

Seguindo o caminho inverso, no mês passado a maior fabricante mundial de celulares, Nokia, começou a vender laptops.