Há algo no ar: realidade aumentada

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009 16:56 BRST
 

Por Reed Stevenson

ROTERDÃ, Holanda (Reuters) - Os adeptos da tecnologia e os programadores que estão em busca do próximo grande avanço tecnológico se reuniram na sexta-feira em Roterdã, Holanda, para serem informados sobre a "realidade aumentada", a qual foi divulgada como algo que mudaria sua visão de mundo.

Ao contrário da realidade virtual, a realidade aumentada combina em uma tela imagens do mundo real e imagens geradas em computador, geralmente em tempo real.

Por exemplo, uma pessoa que tivesse nas mãos um celular equipado com câmera, sensor de posicionamento global (GPS), bússola e o software apropriado poderia apontar o aparelho para uma rua da cidade e sobrepor à imagem registrada fotos antigas de ruas ou edifícios históricos.

A companhia holandesa Layar é um dos principais fornecedores mundiais do software que torna possível a realidade aumentada.

"Não seria ótimo estar em algum lugar e poder ver que aparência ele tinha em dado momento do passado?", disse Claire Boonstra, uma das fundadoras da Layar. "A pessoa poderia se transportar a locais completamente novos."

O Layar está disponível no iPhone 3gs, da Apple, e nos celulares equipados com o sistema operacional Google Android.

Claire Boonstra demonstrou diferentes formas de uso para a realidade aumentada, como uma visita turística guiada à Londres dos Beatles, a exibição de obras digitais de arte nas ruas da cidade ou para um jogo de Pac-man na calçada.

A expectativa é de que a receita associada à realidade aumentada cresça dos 6 milhões de dólares estimados em 2008 para mais de 350 milhões de dólares em 2014, de acordo com relatório divulgado no mês passado pela ABI Research.

A realidade aumentada não é exatamente novidade. Na verdade, ela existe há cerca de 15 anos.

As redes de TV estiveram entre os primeiros usuários, usando imagens digitalizadas para melhorar suas transmissões --por exemplo em provas de natação. Produtores de videogames como a Sony e a Microsoft adotaram a tecnologia de realidade aumentada para criar jogos mais interativos.