eBay e Craigslist se enfrentam em tribunal nos EUA

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009 15:24 BRST
 

Por Tom Halls

GEORGETOWN, Delaware (Reuters) - O eBay levou sua ex-presidente executiva Meg Whitman ao banco de testemunhas na segunda-feira, para defender o argumento de que o Craigslist agiu de maneira desleal a fim de negar um assento em seu conselho ao gigante dos leilões online.

Whitman, que declarou que no momento é "candidata ao governo da Califórnia", deveria depor por diversas horas a fim de detalhar as negociações que conduziram ao envolvimento entre eBay e Craigslist e o desentendimento que surgiu entre sua companhia e os principais executivos do serviço de classificados online.

Os fundadores do Craigslist e do eBay, Craig Newmark e Pierre Omidyar, também apresentarão depoimentos.

O eBay deseja revelar o "plano de coerção" que, segundo suas alegações, Newmark preparou com Jim Buckmaster, o presidente-executivo do Craigslist, a fim de reduzir a participação acionária do eBay na empresa e, com isso, privá-la de um assento no conselho do Craigslist.

O Craigslist argumentou, por sua vez, que o eBay aproveitou a sua posição no Conselho para obter informações usadas para facilitar o lançamento de seu site de classificados, o Kijiji.

O Craigslist também argumenta que o eBay empregou táticas enganosas a fim de desviar tráfego que seria dirigido ao site de classificados.

O eBay, uma das empresas de maior destaque no primeiro boom da Internet, foi o pioneiro dos leilões online e levou milhões de pessoas em todo o mundo a comprar e vender na Web.

Apesar de gerar 8,5 bilhões de dólares em receita em 2008 e de empregar milhares de pessoas, a companhia se viu forçada a ampliar seu mercado de maneira a concorrer melhor e se expandir para além de seus tradicionais leilões online.   Continuação...