Seagate ingressa no mercado de drives estado sólido

terça-feira, 8 de dezembro de 2009 09:49 BRST
 

SAN FRANCISCO, Estados Unidos, 8 de dezembro (Reuters) - A Seagate Technology, maior fabricante mundial de discos rígidos, revelou seu primeiro drive de estado sólido, o que a conduz a um mercado nascente, mas potencialmente lucrativo, um passo atrás de rivais como a Stec.

O produto da Seagate --chamado Pulsar-- é para uso em centrais de processamento de dados, nas quais milhares de servidores operam em conjunto a fim de acionar sistemas empresariais e governamentais, como os do Google, Amazon.com e os do Pentágono.

A Seagate, cujo drive de estado sólido (SSD) tem capacidade de até 200 gigabytes, está entrando em um mercado no qual concorrentes já conquistaram algum espaço.

"A Seagate está chegando tarde ao jogo, mas não é como se a partida já estivesse encerrada", disse Joseph Unsworth, analista do Gartner que havia sido informado previamente pela empresa sobre o lançamento do produto.

Muitos especialistas do setor consideram os drives desta tecnologia de estado sólido como o futuro da computação. São mais rápidos e, ao contrário dos discos rígidos convencionais, não apresentam partes móveis, o que os torna mais resistentes. Os analistas afirmam que seus preços devem cair à medida que a tecnologia melhora.

Dave Reinsel, vice-presidente da Seagate, disse que os relacionamentos estabelecidos entre sua empresa e companhias de armazenagem e fabricantes de computadores de todo o mundo darão vantagem no mercado à empresa.

A Seagate começou a distribuir o Pulsar SSD a alguns fabricantes de computadores já em setembro. O drive armazena dados em chips de memória flash NAND, e opera a temperatura mais baixa, com maior eficiência energética e mais confiabilidade que um disco rígido, embora seja muito mais caro.

Por enquanto, os SSDs são usados para funções nas quais o tempo de acesso seja importante a ponto de justificar o custo elevado, como as transações financeiras, e devem ser adotados rapidamente por empresas nos próximos anos.

A Gartner diz que este ano 280 mil unidades serão vendidas, por 450 milhões de dólares. A empresa projeta vendas de 800 mil unidades e quase um bilhão de dólares em 2010, e de 5,3 milhões de unidades e 1,9 bilhão de dólares em 2013.