Cisco vê crescimento de 12% a 17% com recuperação global

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009 12:07 BRST
 

Por Ritsuko Ando

SAN JOSÉ, Estados Unidos, 8 de dezembro (Reuters) - O presidente-executivo da Cisco Systems, John Chambers, reafirmou a meta da fabricante de equipamentos de rede de crescimento anual na receita entre 12 e 17 por cento no longo prazo, citando a recuperação econômica e expansão em novos mercados.

A Cisco não alcançou esses níveis de crescimento no ano passado depois que clientes cortaram gasto em tecnologia, mas Chambers, em conferência com analistas, disse que as condições melhoraram nos últimos trimestres.

"A maioria dos nossos clientes em uma base global cortou tudo que podia nos últimos 18 meses", disse Chambers. O executivo comentou que um meio termo na projeção de 12 a 17 por cento seria um resultado de nível "B", e que um nível "A" seria conseguir crescer no teto ou acima da variação.

"Gostaria de operar no teto ou além da meta", disse ele a repórteres. "Nós percebemos, contudo, que queremos ser sempre muito realistas".

Tendo estabelecido a liderança no mercado em seus negócios de servidores e roteadores, a Cisco está se expandindo em servidores de centro de dados bem como mercados de consumidor para apoiar o crescimento no longo prazo.

Enquanto Chambers preferia não prever quando a Cisco conseguiria a meta de 12 a 17 por cento, analistas previam que isso deve ser possível em um ano ou dois, afirmando que a liderança da Cisco e equipes de vendas tinham boa execução.

"Enquanto a recuperação econômica global continuar, nós continuamos a acreditar que a Cisco pode atingir seus objetivos nos próximos poucos anos", disse o analista Brian White, da Ticonderoga Securities.

A receita da Cisco no primeiro trimestre fiscal, que acabou em 24 de outubro, caiu 13 por cento contra o ano anterior. A empresa havia previsto alta entre 1 e 4 por cento neste trimestre.