Borders entrará no mercado do e-readers com serviço de downloads

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009 20:04 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - Para o serviço eletrônico de downloads Kobo, sua tecnologia seria a melhor forma de a rede de livrarias norte-americana Borders Group alcançar suas concorrentes no mercado de livros digitais.

A Kobo, start-up originalmente da rede de livrarias canadense Indigo Books & Music, e na época conhecida como Shortcovers, anunciou na terça-feira um acordo com Borders e Indigo para fornecer às duas serviços de vendas de livros digitais.

A Borders, segunda maior livraria dos Estados Unidos, tem recebido críticas de analistas e investidores pelo atraso no mercado de livros digitais, perdendo, assim, o boom esperado para o setor neste Natal. Sua concorrente Barnes & Noble já lançou seu próprio aparelho e-reader, o Nook, para a temporada de festas de fim de ano, enquanto o Kindle, da varejista on-line Amazon.com, já se tornou líder no mercado de dispositivos de leitura.

"Eles veem o setor como uma forma de entrar rapidamente no mercado, porque o tempo está passando", disse o presidente-executivo da Kobo, Michael Serbinis, à Reuters em entrevista nesta quarta-feira.

"O mercado ainda está nos primeiros estágios, mas está crescendo rápido", afirmou.

Embora a Border não esteja planejando lançar seu próprio aparelho, sob o acordo, seus consumidores terão acesso ao catálogo de 2 milhões de livros a venda e outros 1,8 milhões de livros gratuitos da Kobo. A empresa, lançada em fevereiro, irá operar o site Borders.com.

(Reportagem de Phil Wahba)