Entidades pedem que acordo de Google e AdMob seja barrado

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009 19:07 BRST
 

WASHINGTON (Reuters) - Dois grupos pediram aos reguladores antitruste dos Estados Unidos nesta segunda-feira que bloqueiem a compra da AdMob, fornecedora de serviços de publicidade em celulares, para o Google, com receio de prejuízo à concorrência e com questões sobre riscos à privacidade com o negócio.

A Consumer Watchdog, órgão fiscalizador da proteção ao consumidor, e o Center for Digital Democracy, que advoga pelo acesso livre à Internet, disseram em carta à Comissão Federal de Comércio dos EUA (FTC, na sigla em inglês) que o acordo entre Google e AdMob "reduz de forma substancial a competição no cada vez mais importante no mercado de anúncios móveis".

O Google é o maior buscador da Internet, enquanto a AdMob desenvolve tecnologia para a entrega e visualização de anúncios em telefones móveis. A AdMob também possui uma rede que permite aos anunciantes publicar propagandas em sites de Internet móvel e direcionar a publicidade para aplicativos em smartphones.

Os grupos também afirmam que o acordo levanta preocupações sobre a privacidade, que normalmente não é considerada nas análises antitruste de fusões e aquisições.

O Google tem dito que a FTC pediu informações adicionais sobre o acordo de 750 milhões de dólares com a AdMob.

Se o negócio for aprovado, será a terceira maior aquisição feita pelo Google, depois da compra da DoubleClick por 3,1 bilhões de dólares e do YouTube por 1,65 bilhão de dólares.

O Google gera a maioria de sua receita, que totalizou ao redor de 22 bilhões de dólares em 2008, com a venda de anúncios que aparecem ao lado dos resultados de buscas feitas pelos visitantes de seu site.

Representantes do Google não foram imediatamente encontrados para falar sobre o assunto e a FTC não confirmou se recebeu a carta das entidades.

(Por Diane Bartz)