Facebook e Twitter lideram lista de notícias estranhas de 2009

terça-feira, 29 de dezembro de 2009 15:46 BRST
 

Por Erik Kirschbaum

BERLIM (Reuters) - Desde a cidade alemã que sem querer fez propaganda de pornografia em seu site oficial até o caso do norte-americano que interrompeu seu casamento para atualizar as contas de Twitter e Facebook, notícias estranhas não faltaram em 2009.

A personagem de quadrinhos Marge Simpson chegou à capa da revista Playboy, duas pessoas que entraram de penetras em uma festa na Casa Branca comemoraram seu feito no Facebook, e o mundo foi ludibriado para acreditar que um menino de 6 anos estava em um balão caseiro que percorreu os céus dos Estados Unidos.

Redes de relacionamento social como Facebook, Twitter e YouTube serviram de terreno fértil para muitas das histórias bizarras.

Médicos britânicos foram aconselhados a ignorar propostas amorosas de pacientes, depois de alguns terem sido paquerados por pacientes no Facebook. Parlamentares holandeses foram repreendidos por "tuitar" no Parlamento, e, no Canadá, um deputado teve que desculpar-se por ter insultado um rival no Twitter.

A Alta Corte britânica emitiu seu primeiro mandado via Twitter para impedir um "twiteiro" anônimo de se passar por outra pessoa.

O Programa Mundial de Alimentos, da ONU, enviou mensagens de texto a refugiados iraquianos na Síria para que pudessem validar vales virtuais para receber alimentos em lojas locais. E uma pesquisa nos EUA constatou que um em cada cinco motoristas envia ou lê mensagens de texto enquanto está dirigindo.

FUNERÁRIA ADERE AO VERDE

A gripe H1N1, ou suína, representou um desafio grande no ano -- e também uma rica fonte de notícias bizarras. Milhares de porcos foram abatidos no Egito, apesar de a ONU ter dito que o abate maciço foi um "erro real", porque o vírus não está presente em porcos.   Continuação...

 
<p>Desde a cidade alem&atilde; que sem querer fez propaganda de pornografia em seu site oficial at&eacute; o caso do norte-americano que interrompeu seu casamento para atualizar as contas de Twitter e Facebook, not&iacute;cias estranhas n&atilde;o faltaram em 2009.</p>