Vendas do Wii batem recorde nos EUA em dezembro

terça-feira, 5 de janeiro de 2010 16:24 BRST
 

KYOTO, Japão (Reuters) - A Nintendo informou que atingiu um nível recorde de vendas de seu console Wii nos Estados Unidos em dezembro, desafiando temores de mercado de que o auge do videogame, lançado há três anos, tenha passado.

A Nintendo também afirmou que as vendas de seu videogame portátil DS provavelmente atingiram patamar inédito nos EUA em 2009, e que seu total de vendas chegou a 40 milhões de unidades na Europa, tornando-o o aparelho para games mais vendido da história no continente.

"Creio que agora podemos dizer que o Wii se recuperou da queda", disse o presidente-executivo da empresa, Satoru Iwata, em entrevista à Reuters nesta terça-feira.

"Mas não tenho certeza se é prudente usar palavras como renovação ou recuperação de modo inconsequente antes de ter certeza absoluta que poderemos manter esse ritmo."

Com a enorme demanda pelo games Wii e DS, as ações da Nintendo saltaram mais de cinco vezes em dois anos desde outubro de 2007. Com isso, a empresa alcançou o posto de terceira companhia do Japão com maior valor de mercado.

Desde então, no entanto, os papéis da empresa caíram 68 por cento com sinais de que as vendas de consoles e games diminuíam.

A Nintendo vendeu mais de 3 milhões de unidades do Wii nos EUA em dezembro de 2009, contra 2,14 milhões de unidade no mesmo período do ano anterior, graças a uma série de lançamentos fortes de novos jogos como o "New Super Mario Bros. Wii", além de um corte no preço do console, segundo Iwata.

A Nintendo cortou em 20 por cento o preço do Wii, console mais vendido que o PlayStation 3, da Sony, e o Xbox 360, da Microsoft, no segundo semestre do ano passado para trazer força de volta às suas vendas.

(Por Kiyoshi Takenaka)

 
<p>Funcion&aacute;rio arruma um console Wii em T&oacute;quio. A Nintendo informou que atingiu um n&iacute;vel recorde de vendas de seu console Wii nos Estados Unidos em dezembro, desafiando temores de mercado de que o auge do videogame, lan&ccedil;ado h&aacute; tr&ecirc;s anos, tenha passado.05/01/2010.REUTERS/Toru Hanai</p>