Fabricantes de TVs apostam pesado em 3D, mas retorno é incerto

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010 10:39 BRST
 

Por Franklin Paul e Mayumi Negishi

LAS VEGAS, Estados Unidos, 7 de janeiro (Reuters) - Os fabricantes de televisores estão apostando nos aparelhos 3D como nova fonte de vendas, com modelos capazes de acrescentar uma dimensão visual adicional programados para chegar com força às lojas dos Estados Unidos pela metade de 2010.

Os principais fabricantes de televisores, entre os quais Sony, Panasonic, LC Electronics e Samsung Electronics, apresentam os avanços conquistados nas telas 3D durante a Consumer Electronics Show, esta semana, e esperam que a nova tecnologia se mostre um propulsor tão forte para o setor quanto a transição dos televisores branco e preto para os coloridos.

Mas os investidores acreditam que ainda seja cedo demais para colocar seu dinheiro em televisores 3D. Demorou uma década para que o custo dos televisores coloridos caísse o bastante para que eles conquistassem aceitação nos Estados Unidos, lembrou Mitsushige Akino, administrador chefe de fundos na Ichiyoshi Investment Management, do Japão.

"Os fabricantes de televisores querem mais do 3D do que conseguirão obter", afirmou. "Além disso, Samsung, Sony, Panasonic e LG ainda não obtiveram vantagem tecnológica clara. Até que isso fique claro, não vou investir", disse.

Muitos consumidores mal acabaram de comprar seus TVs de tela grande e alta definição, o que torna improvável que gastem mais dinheiro em uma troca de aparelho em curto prazo, dizem os analistas.

Existem apenas alguns modelos de televisores 3D no mercado hoje, com um aparelho de 42 polegadas custando cerca de 1.000 dólares e um de 50 polegadas mais de 2.000 mil. Um televisor LCD com tela de 42 polegadas custa entre 600 e 700 dólares.

A necessidade de óculos especiais e a falta de eventos esportivos e de entretenimento transmitidos ao vivo em 3D também pode dissuadir as pessoas de adotar a tecnologia fora dos cinemas, disseram os analistas.

Embora a Walt Disney e a Discovery Communications tenham ambas anunciado planos para criar programação em 3D, os analistas dizem que a maior parte do conteúdo 3D para vídeo virá em disco, já que as redes de TV adquiriram pouco da infraestrutura necessária a transmitir em 3D.   Continuação...