22 de Janeiro de 2010 / às 12:55 / 8 anos atrás

China diz que acusações dos EUA sobre Internet são infundadas

Por Ben Blanchard e Ralph Jennings

PEQUIM, 22 de janeiro (Reuters) - A China reagiu na sexta-feira às críticas norte-americanas sobre casos de censura à Internet e invasões de hackers, alertando que a relação entre as duas potências está sendo afetada por uma disputa que tem como pivô o Google.

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, desafiou na quinta-feira a China e outros governos autoritários a acabarem com a censura na Internet, uma questão que saltou para o centro das relações sino-americanas depois que o Google ameaçou deixar a China por sofrer restrições e ataques digitais no país.

A chancelaria chinesa disse que as críticas dos EUA podem afetar as relações entre os dois países, já abaladas por discordâncias a respeito de desequilíbrios comerciais, câmbio e venda de armas dos EUA a Taiwan.

"Os EUA criticaram as políticas chinesas para administrar a Internet e insinuaram que a China restringe a liberdade na Internet", disse o porta-voz Ma Zhaoxu. "Isso vai contra os fatos e é nocivo às relações China-EUA."

"Pedimos aos EUA que respeitem os fatos e deixem de usar a chamada liberdade da Internet para fazer acusações infundadas contra a China", disse Ma em nota divulgada pelo site da chancelaria (www.mfa.gov.cn).

Mas o governo também sinalizou que não deseja que a disputa prejudique a cooperação com o governo Obama, que tem buscado o apoio de Pequim em questões de política econômica e em impasses diplomáticos, como os que envolvem Irã e Coreia do Norte.

Ma disse que as duas partes devem "lidar apropriadamente com as fissuras e questões delicadas, protegendo o desenvolvimento saudável e estável das relações China-EUA."

Na quinta-feira, o vice-chanceler He Yafei minimizou a disputa com o Google e indicou que seu governo está mais preocupado com questões político-econômicas mais amplas, que podem se inflamar nos próximos meses.

Hillary criticou no seu discurso as políticas cibernéticas da China e do Irã, entre outros, e exigiu que Pequim investigue as queixas do Google contra hackers.

Facebook, Twitter e YouTube são bloqueados na China, que usa um poderoso firewall para impedir usuários de verem sites estrangeiros que tenham conteúdo que desagrada ao Partido Comunista.

"As relações sino-americanas foram impactadas", disse Shi Yinhong, professor de Relações Internacionais na Universidade Renmin, em Pequim. "A China admitiu que há áreas onde pode melhorar, e aí Hillary fez os seus comentários em um local público, comparando-nos a Egito e Arábia Saudita. Então acho que ao longo do último ano (desde sua posse como secretária) o discurso de Hillary é a coisa mais antidiplomática que ela disse."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below