"Irmã mais velha" do Google na China pede para empresa ficar

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010 12:07 BRST
 

PEQUIM, 27 de janeiro (Reuters) - Um site similar ao Google surgiu na China para competir com o maior mecanismo de buscas do mundo, pedindo ao mesmo tempo para a companhia norte-americana se manter no país apesar da censura e acusações de ataques de hackers.

Reforçando a reputação da China de cópia de produtos como design de roupas, redes de café e DVDs, o "Goojje" entrou no ar em 14 de janeiro, publicou o jornal Henan Business Daily.

O Google havia afirmado dois dias antes que poderia fechar seu portal chinês google.cn e sair da China.

O nome escolhido pelo novo sistema de busca é um jogo de palavras. A sílaba final "jje" soa como a palavra em chinês para "irmã mais velha", enquanto a sílaba "gle" de "Google" é pronunciada como a palavra chinesa para "irmão mais velho".

O Goojje (www.goojje.com) possui mecanismo de busca e oferece serviços de rede social. A página principal tem um logotipo no estilo do Google que combina marcas do "irmão mais velho" e do maior mecanismo de buscas da China, o Baidu.

"A irmã ficou muito feliz quando o irmão desistiu do pensamento de ir embora e ficar com a irmã", diz o site, em um aparente pedido para que o Google fique na China.

Representantes do Google não estavam imediatamente disponíveis para comentar sobre o Goojje.

No início do mês, o Google se queixou de censura e de ter sofrido um ataque hacker sofisticado dentro da China.

Os resultados de buscas no Goojje são ligeiramente diferentes dos resultados do Google ou do Baidu, mas parece ser igualmente filtrado para evitar conteúdo que o governo chinês considera politicamente sensível.