Itália se diz contra acordo Telecom Italia/Telefónica

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010 12:07 BRST
 

Por Deepa Babington

ROMA, 2 de fevereiro (Reuters) - O governo italiano afirmou nesta terça-feira que continua contra qualquer compra da Telecom Italia pela espanhola Telefónica, depois que um jornal afirmou que o governo seria a favor, o que fez com as ações da empresa italiana subirem 9 por cento.

O gabinete do primeiro-ministro, Silvio Berslusconi, "negou completamente" qualquer encontro, contato ou condições para um acordo.

A resistência política na Itália é considerada o maior obstáculo para um potencial acordo entre as duas gigantes europeias de telecomunicações, que há muito se especula serem candidatas prováveis a uma parceria. Roma tem sido receosa sobre deixar a rede de telefonia do país cair nas mãos de estrangeiros.

O jornal La Repubblica afirmou em artigo sem fontes nesta terça-feira que o governo decidiu que dará aval para que a Telefónica faça uma oferta total se a rede de telefonia continuar em mãos italianas e os investidores italianos ficarem envolvidos em questões de governança.

Ambas as empresas envolvidas preferiram não comentar. Nenhuma delas disse algo desde que os rumores sobre uma união começaram a circular.

"Não há visão favorável do governo" sobre qualquer acordo, afirmou o ministro da Indústria, Claudio Scajola, em Israel, onde se encontra para visita de Estado. "Há muita conversa, muita fofoca."

Segundo alguns analistas, com as ações da empresa italiana em mínimas recordes e sinais de recuperação nas operações, uma compra faria sentido para a Telefónica.

"Eu esperaria uns 80 por cento de chances de uma acordo dentro de dois ou três trimestres", disse Michael Kovacocy, da Daiwa.