Jargão de computadores confunde usuários e prejudica segurança

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010 12:30 BRST
 

Por William Maclean

BRUXELAS (Reuters) - O jargão dos computadores, uma cultura burocrática e publicidade pouco imaginativa estão desencorajando os usuários de Internet de aprenderem como se proteger online.

Diante de termos confusos, muitos dos quase dois bilhões de usuários mundiais de Internet concluem que a segurança é assunto para "especialistas" e não assumem a responsabilidade por manter a segurança de seu trechinho pessoal de ciberespaço --um erro que pode custar muito caro.

Foi essa a mensagem de especialistas em computação que se reuniram esta semana a fim de descobrir como proteger os usuários de computadores contra o crescente problema dos roubos, fraudes, vandalismos, abusos e espionagem online.

"O uso criminoso e malévolo do ciberespaço é espantoso em seu escopo e inovação, hoje", disse o presidente da Dell Services, Peter Altabef.

Um problema é que os "geeks" da computação empregam jargão para ocultar seu trabalho sob uma capa de erudição, o que resulta em falta de clareza em quase tudo, de manuais de instrução a sistemas criados para treinamento profissional, disseram os especialistas.

"Se você não desmistificar a segurança, as pessoas se sentem ansiosas quanto a ela e não querem cuidar do assunto", disse ex-secretário da Segurança Interna dos Estados Unidos Michael Chertoff à Reuters durante um encontro sobre segurança no EastWest Institute, em Bruxelas.

"Existem certas pessoas na profissão que em alguma medida apreciam a mitificação daquilo que fazem, sua impenetrabilidade. É quase como se tivessem uma sensação de superioridade", acrescentou.

Médicos e advogados também costumavam desfrutar de "um senso de conhecimento especial, mitificado", disse Chertoff. "Mas quando as pessoas adquirem o poder de compreender o que está havendo, os médicos podem trabalhar melhor. O mesmo vale para a segurança da computação. A tarefa seria tornar a arquitetura mais fácil de usar, e ensinar melhor as pessoas."

O setor progrediu na educação dos usuários, mas resta uma tarefa séria e urgente a realizar, diante das crescentes ameaças criminais e da chegada iminente de bilhões de novos usuários à Internet.