MySpace prepara reformulação de site para reanimar crescimento

quarta-feira, 10 de março de 2010 12:35 BRT
 

Por Alexei Oreskovic

SAN FRANCISCO (Reuters) - Com perda de audiência, numerosas demissões e duas reformas em seu quadro executivo, o MySpace, no passado líder das redes sociais na Internet, vem passando por um ano difícil.

Mike Jones, que no mês passado assumiu a co-presidência da empresa, com Jason Hirschhorn, disse que alguns dos funcionários do MySpace perderam a vontade de continuar lutando.

"Estamos em um momento no qual é preciso fé", disse Jones, acrescentando que a empresa havia encorajado pessoas que não tinham pleno compromisso para com ela que se demitissem.

A necessidade de fé é um bom indicador quanto às dimensões do desafio que o MySpace, parte da News Corp, tem de enfrentar. Diante a concorrência de redes sociais cada vez mais ativas, como o Facebook e o Twitter, e da chegada do Google a esse mercado, o MySpace espera se tornar a primeira rede social a reconquistar seu apelo perdido junto às audiências.

Na sede da companhia em Beverly Hills, na segunda-feira, Jones e Hirschhorn delinearam seu plano pela primeira vez desde que assumiram como co-presidentes. Exibiram a nova versão do site que será lançada gradativamente ao longo das próximas semanas e meses.

O novo site dá à música e ao conteúdo de mídia posição mais central no MySpace, com recursos como a capacidade de ouvir uma lista de música criada a partir de canções que outros usuários do MySpace estejam compartilhando em suas atualizações.

O objetivo é estimular o crescimento no número de novos usuários e atrair de volta os usuários perdidos, disse Hirschhorn.

"Não queremos ficar com 100 milhões (de usuários) ou 120 milhões. Queremos crescer para os 200 milhões ou 300 milhões," disse Hirschhorn, sem revelar o cronograma para atingir esses números.

O MySpace teve 119,6 milhões de visitantes únicos, em todo o mundo, em janeiro de 2010, uma queda de 7,4 por cento ante o resultado do mesmo mês um ano antes, embora acima dos 108,1 milhões de novembro, sua mais baixa audiência, de acordo com a ComScore.