Oposição pede investigação de Dilma e Dirceu no caso Telebrás

quarta-feira, 10 de março de 2010 19:33 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - Deputados da oposição entregaram à Procuradoria-Geral da República (PGR) um pedido de investigação sobre o envolvimento da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e do ex-ministro da pasta José Dirceu no caso Telebrás.

Os líderes do DEM, PSDB e PPS, que assinam o documento, pedem investigação sobre o pagamento de 620 mil reais ao ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, segundo reportagem publicada no jornal Folha de São Paulo em 23 de fevereiro. O dinheiro teria vindo de um grupo empresarial que obteria vantagens com a reativação da Telebrás.

Quanto à ministra Dilma, alegam que ela também teria responsabilidade por ter atuado na elaboração do Plano Nacional de Banda Larga.

"Nós precisamos entender quem tirou proveito de uma situação que o governo controla 100 por cento, desde o plano de banda larga até a instituição da Telebrás, passando por ganhos milionários que estão sendo feitos à custa do cidadão brasileiro", disse a jornalistas o líder do DEM na Câmara, Paulo Bornhausen (SC).

A oposição também avalia que a expressiva valorização das ações da Telebrás veiculada na imprensa merece ser investigada.

"Como é que uma ação se valoriza 35 mil por cento em uma empresa que está em extinção e que as informações que possam valorizar as ações dessa empresa vêm do Palácio do Planalto e da Casa Civil. Essa é a questão: quem é quem nesse jogo, quem fez o quê para essa ação se valorizar?", argumentou o líder do DEM.

Assinam o documento entregue à PGR, além de Bornhausen,os líderes de bancada João Almeida (PSDB-BA) e Fernando Coruja (PPS-SC).

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)