China alerta que Google deve respeitar as leis mesmo saindo do país

terça-feira, 16 de março de 2010 10:45 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - O Google deve obedecer as leis do governo chinês mesmo se decidir pela saída do país por conta das queixas de ataques cibernéticos e censura, afirmou um porta-voz do governo nesta terça-feira.

Os investidores venderam suas ações do Google após sinais de que a empresa pode fechar em breve seu site na China, o google.cn, dois meses depois de afirmar que não concorda com as leis de censura de Pequim e estar alarmado com ataques de hacker na China.

O Google não revelou nenhum plano, deixando usuários especulando sobre uma decisão unilateral da companhia de ignorar os filtros obrigatórios chineses que censuram o conteúdo do google.cn ou anunciar que retirarão o site do ar.

No que pareceu ser uma lembrete de que a China não receberá bem nenhuma mudança brusca, uma porta-voz do Ministério do Comércio disse que o Google deve seguir as regrar mesmo caso decida não continuar no país.

"Ao entrar no mercado chinês em 2007, ele claramente aceitou respeitar as leis chinesas", disse o porta-voz, Yao Jian, a jornalistas em resposta à questão do Google.

O Google abriu seu portal chinês em 2006.

"Esperamos que com a continuidade das operações na China ou fazendo outras escolhas, o Google continue respeitando das regulações chinesas", disse Yao.

"Mesmo caso ele saia, ele deve lidar com tudo de acordo com as leis e resolver suas pendências apropriadamente", explicou.

(Reportagem de Chris Buckley e Wang Lan)