Samsung nega planos de expandir capacidade para chips

terça-feira, 16 de março de 2010 17:52 BRT
 

TAIPEI/SEUL (Reuters) - A Samsung afirmou nesta terça-feira que no momento não tem planos de alterar sua previsão de investimentos de capital na produção de chips, em meio a rumores no mercado de que elevaria os investimentos em cerca de dois bilhões de dólares a fim de aproveitar a forte recuperação do setor.

A Samsung Electronics, maior fabricante mundial de chips de memória, anunciou em janeiro que estava "considerando seriamente" uma expansão nos seus planos de investimento de 5,5 trilhões de won (4,85 bilhão de dólares) na expansão de capacidade de produção de semicondutores, este ano, e as fortes vendas de computadores e demanda chinesa levaram os investidores a elevar suas apostas em uma expansão do investimento.

"Acreditamos que a Samsung elevará seu investimento total a 6,5 trilhões de won ou ainda mais, a fim de expandir a produção," disse Lee Seungwoo, analista da Shinyoung Securities.

"Mas a empresa parece estar adotando abordagem cautelosa, já que um plano agressivo de investimento poderia levar os rivais a seguir seu exemplo, o que criaria capacidade excedente quando a perspectiva de demanda em longo prazo continua incerta devido a fatores como o aperto na política econômica chinesa," acrescentou.

À medida que o setor de chips se recupera de sua pior crise nos últimos três anos, as empresas se preparam para elevar investimentos, o que pode prejudicar a recuperação nascente, embora até o momento os gastos se tenham concentrado principalmente em tecnologia de processamento mais refinada, para reduzir custos, e não na criação de novas linhas de produção.

"Estamos esperando pelos resultados do segundo trimestre, e recolhendo informações de nossos clientes," disse Kwon Oh-hyun, o encarregado das operações de semicondutores da Samsung, em entrevista à Reuters, quando perguntado sobre os planos de investimento em chips de sua empresa, durante um evento setorial realizado em Taiwan.

Os temores crescentes quanto a um excesso de produção levaram o UBS a reduzir sua avaliação do setor mundial de chips e memória DRAM a "neutro," este mês, e o Citigroup estima que os preços dos chips cairão em 30 por cento no segundo semestre do ano, ante o primeiro, já que os investimentos de capital totais devem dobrar, para 10 bilhões de dólares em 2010, a primeira alta em três anos.