Smartphones não bastam para operadoras em feira nos EUA

segunda-feira, 22 de março de 2010 12:13 BRT
 

Por Sinead Carew

NOVA YORK (Reuters) - Os celulares inteligentes podem ser uma das áreas mais quentes da tecnologia, com a disputa entre grandes nomes como Apple e Google, mas os investidores estão questionando as perspectivas de crescimento das operadoras de telefonia móvel à medida que se desacelera o crescimento da base de clientes.

Embora seja verdade que aparelhos inteligentes como o iPhone ou os celulares Android reforçarão a audiência por serviços sem fio avançados tais como vídeo, jogos e acesso móvel à Web, os analistas se preocupam com a possibilidade de que os retornos desses serviços não sejam capazes de sustentar crescimento de receita.

O crescimento na base de assinantes da telefonia móvel está se desacelerando uma vez que 90 por cento dos norte-americanos e em outros países já dispõem de celulares.

As expectativas de captura de novos assinantes já são inferiores ao normal para o atual trimestre, que se encerrará dias depois da feira CTIA de telefonia móvel, que acontece de 23 a 25 de março, em Las Vegas.

O crescimento no número de clientes de telefonia móvel no primeiro trimestre em geral é cinco a 10 por cento mais lento que no movimentado quarto trimestre, mas este ano os analistas preveem queda de 15 por cento na expansão de assinantes de planos pós-pagos.

Diante desse cenário, operadoras norte-americanas como AT&T e Verizon devem concentrar seus esforços em serviços avançados de telecomunicações, durante a CTIA. As operadoras podem cobrar tarifa adicional dos usuários por serviços de dados tais como acesso à Internet e mensagens de texto.

Mas os analistas dizem que isso não bastará para compensar a queda na receita com serviços de voz e a alta nos custos dos serviços de dados.

"Eles podem agitar quanto quiserem no mercado de dados, mas a verdade é que o crescimento de receita do setor de telefonia sem fio dos EUA foi de apenas 2,6 por cento em 2008", disse Craig Moffett, analista da Bernstein.   Continuação...