EUA dizem que Google tomou decisão própria sobre China

terça-feira, 23 de março de 2010 16:53 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos disseram nesta terça-feira que a ação do Google de fechar seu portal em idioma chinês foi uma decisão de negócio e que não houve envolvimento do governo norte-americano.

Na segunda-feira, o Google começou a redirecionar visitas ao seu site de buscas em chinês para a versão de Hong Kong, recebendo críticas da China.

"Foi uma decisão empresarial do Google", disse o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA P.J. Crowley a repórteres.

"Em relação à liberdade na Internet e ao fluxo de informações em todo o mundo, incluindo o fluxo de informações envolvendo a China, trata-se de algo que vamos continuar a discutir com a China", acrescentou.

O Google surpreendeu o mundo e a comunidade empresarial em janeiro quando disse que poderia abandonar a China, em meio à censura da Internet no país e depois de ter sofrido um sofisticado ataque hacker.

A decisão do Google anunciada na segunda-feira veio em um momento de tensões entre Pequim e Washington sobre temas variando da liberdade na Internet à taxa do iuan, sanções econômicas ao Irã e vendas de armas dos EUA à Taiwan.

"Em última instância, as empresas farão seus julgamentos sobre as oportunidades de investimento na China", disse Crowley.

"Nós consideramos a relação econômica entre os EUA e a China", afirmou ele. "Isso posto, se eu fosse a China, eu consideraria seriamente as implicações quando uma das mais reconhecidas empresas do mundo decide que é muito difícil fazer negócios na China", acrescentou.

 
<p>Sede do Google em Pequim, antes da empresa anunciar que fecharia seu portal em idioma chin&ecirc;s. REUTERS/Jason Lee</p>