AT&T quer lucrar com itens pequenos como coleiras para cães

sexta-feira, 26 de março de 2010 09:46 BRT
 

LAS VEGAS (Reuters) - Considerando que a maioria dos norte-americanos já dispõe de celulares, a AT&T agora deseja transformar seus cachorros em público-alvo.

Uma coleira de cachorro dotada de um celular que deve chegar ao mercado este ano é apenas um dos diversos novos aparelhos que a operadora de telefonia espera que conquiste sucesso junto aos consumidores dos Estados Unidos.

A coleira enviaria mensagens de texto ou e-mails ao proprietário de um animal de estimação quando este sair de uma área determinada, ou poderia permitir que o animal fosse continuamente rastreado.

Outros aparelhos incluem uma caixa de pílulas que usa conexão sem fio para lembrar as pessoas quanto ao horário em que devem tomar seus remédios, leitores eletrônicos, um dispositivo que rastreia pallets de produtos para companhias de transportes e sistemas de entretenimento para pessoas que estejam em automóveis.

Quando todos esses aparelhos se conectarem a outros dispositivos ou à Internet, estarão usando a rede da AT&T --o que significa mais receita para a companhia. A AT&T antecipa que isso pode gerar 1 bilhão de dólares ao ano em receita de serviços, no prazo de cinco anos.

"Vemos oportunidade nos cachorros, pallets, carros e na forma pela qual as pessoas tomam seus remédios," disse Ralph de la Vega, responsável pelas operações de telefonia móvel da AT&T, durante a conferência anual CTIA de telefonia móvel.

Depois de falar a respeito das coleiras equipadas com rastreamento sem fio por mais de um ano, a segunda maior operadora norte-americana de telefonia móvel informou na quarta-feira que está quase pronta para reconectar os proprietários de cachorros com seus animais perdidos.

O produto se destina àquelas pessoas que se preocupam com seus cachorros tanto quanto se preocupam com seus filhos, brincou Glenn Lurie, diretor da divisão de aparelhos emergentes da AT&T.

Mostrando uma coleira vermelha destinada a cachorros de maior porte, a companhia informou que o aparelho funcionaria para cachorros de praticamente qualquer tamanho, mas não revelou onde os aparelhos seriam colocados à venda ou que preço teriam.