Físicos fazem colisões inéditas na "máquina do big-bang"

terça-feira, 30 de março de 2010 10:39 BRT
 

Por Robert Evans

GENEBRA (Reuters) - Físicos do Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (Cern) obtiveram na terça-feira colisões de alta energia com partículas subatômicas, como parte de seus experimentos para recriar em menor escala o big-bang, grande explosão fundamental que deu origem ao Universo, 13,7 bilhões de anos atrás.

A experiência, que bate um recorde em termos de energia relacionada às partículas subatômicas, permitirá que os cientistas examinem a natureza da matéria e a origem de estrelas e planetas.

"Este é um grande feito. Estamos indo aonde ninguém jamais esteve antes. Abrimos um novo território para a física", disse à Reuters Oliver Buchmueller, um dos principais nomes desse projeto de 9,4 bilhões de dólares.

As colisões ocorreram com uma energia total de 7 bilhões de bilhões de elétron-volts (eV), a uma nanofração de segundo mais lenta que a velocidade da luz, dentro do Grande Colisor de Hádrons (LHC, em inglês), túnel circular de 27 quilômetros sob a fronteira franco-suíça, a cerca de 100 metros de profundidade.

Após um funcionamento-teste sem problemas durante a noite, os físicos notaram um pequeno defeito. Por isso, suspenderam por algumas horas as colisões de partículas com menor energia, que é o foco desta que é a maior experiência científica da história.

Os problemas surgiram ao amanhecer, na hora em que feixes de partículas eram injetados na máquina, mas funcionários do Cern rapidamente negaram que o defeito fosse uma repetição do grave incidente de setembro de 2008, que destruiu parte da máquina e adiou para agora o lançamento completo do projeto.

Nos próximos meses e anos, cientistas do Cern esperam descobrir no LHC alguns dos maiores mistérios do cosmos - como a matéria se transformou em massa depois do big-bang, e o que é a matéria escura, invisível, que compõem talvez um quarto do universo.

 
<p>Gr&aacute;fico mostra colis&atilde;o total em experi&ecirc;ncia na Cern. F&iacute;sicos do Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (Cern) obtiveram na ter&ccedil;a-feira colis&otilde;es de alta energia com part&iacute;culas subat&ocirc;micas, como parte de seus experimentos para recriar em menor escala o big-bang, grande explos&atilde;o fundamental que deu origem ao Universo, 13,7 bilh&otilde;es de anos atr&aacute;s.30/03/2010.REUTERS/Denis Balibouse</p>