Filtro de Internet chinês prejudica provedoras, dizem EUA

quarta-feira, 31 de março de 2010 17:31 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - A abrangente política chinesa de filtragem de conteúdos políticos, sociais ou religiosos na Internet é complexa e opaca --criando condições precárias de operação para provedoras no país, informou o gabinete do representante comercial dos Estados Unidos em relatório anual enviado ao Congresso norte-americano nesta quarta-feira.

No relatório, compilado antes do Google transferir seu site de buscas chinês para Hong Kong este mês em disputa sobre censura, o oficial afirma: "mudanças na filtragem da Internet podem ocorrer sem aviso ou explicação ao público".

"Autoridades do governo chinês podem emitir, toda semana, listas de termos de busca proibidos ou sites proibidos, com poucas justificativas ou formas de apelar, o que coloca serviços de Internet em uma posição precária, presos entre estar dentro da lei e implementar restrições aparentemente arbitrárias", diz o documento.

(Reportagem de Paul Eckert)