Telecom Itália reduz meta, mas Brasil fez progresso no 1o tri

terça-feira, 13 de abril de 2010 08:12 BRT
 

MILÃO, 13 de abril (Reuters) - A Telecom Italia reduziu sua meta de crescimento de receita e afirmou que planeja reduzir mais custos para diminuir sua dívida de 34 bilhões de euros (46 bilhões de dólares), que tem atrasado investimentos.

O maior grupo de telefonia da Itália manteve seu dividendo em 0,05 euro, mesmo após uma queda de dois dígitos na receita móvel na Itália e uma baixa contábil que reduziu o lucro líquido em 27 por cento em 2009 para 1,58 bilhão de euros.

O anúncio deu força às ações da empresa, que subiam 2,9 por cento, superando o desempenho do setor.

O presidente-executivo da empresa, Franco Barnabe, disse que o objetivo da companhia é "estabilizar o Ebitda orgânico pelo terceiro ano consecutivo em 2010... graças à contribuição do Brasil, que registrou bons progressos nos três primeiros meses do ano".

A queda na casa de dois dígitos na receita móvel italiana no ano passado acabou pesando mais que o crescimento brasileiro.

A empresa afirmou que a receita este ano cairá entre 2 e 3 por cento e que o Ebitda orgânico continuará substancialmente inalterado em 11,3 bilhões de euros. Entre 2010 e 2012, a receita deve crescer 1 por cento.

Para a unidade brasileira TIM Participações a empresa vê crescimento na receita líquida em serviços de até 5 por cento em 2010 sobre os 12,7 bilhões de reais em 2009 (incluindo a Intelig).

Para o triênio 2010-2012 a previsão é de investir pelo menos 7 bilhões de reais, sendo aproximadamente 2,5 bilhões de reais este ano. A margem Ebitda projetada é de até 25 por cento, contra 23 por cento em 2009.

Segundo o plano atualizado divulgado nesta terça-feira, a TIM Brasil caminha para registrar um crescimento na casa de dois dígitos no Ebitda no primeiro trimestre de 2010 e crescimento na casa de um dígito em sua receita de serviços no período.