Países pressionam Google por melhor mecanismo de privacidade

terça-feira, 20 de abril de 2010 20:35 BRT
 

Por Diane Bartz

WASHINGTON (Reuters) - Líderes de proteção de dados e privacidade de 10 países assinaram uma carta conjunta à gigante de Internet Google pressionando o site de buscas a melhorar a promoção do respeito à privacidade de dados, disse o Comissário de Privacidade do Canadá nesta terça-feira.

Os chefes das autoridades de proteção de dados de Canadá, França, Alemanha, Irlanda, Israel, Itália, Holanda, Nova Zelândia, Espanha e Grã-Bretanha redigiram uma carta que foca principalmente no Google Buzz.

Ao lançar o novo serviço em fevereiro, o Google combinou contas já existentes de seu serviço de email Gmail com o Buzz, expondo assim seus contatos a outros usuários do serviço. A empresa, no entanto, já fez mudanças por conta das críticas.

Mas as autoridade afirmam que o problema nunca devia ter acontecido.

"Estamos cada vez mais preocupados que, muito frequentemente, os direitos de privacidade de cidadãos ao redor do mundo são esquecido quando o Google lança novos aplicativos tecnológicos. Ficamos perturbados com seu recente lançamento do aplicativo de rede social Google Buzz, que traiu uma decepcionante desconsideração a normas e leis básicas de privacidade", diz a carta, dirigida ao presidente-executivo do Google, Eric Schmidt.

Na carta, que também mencionou controvérsias sobre a privacidade no Google Street View, os chefes pediram ao Google que mantenha o mínimo praticável de informações sobre seus usuários, que informe usuários sobre como suas informações serão usadas, e que torne configurações de privacidade fáceis de achar e de usar, entre outras coisas.