Grandes expectativas cercam RIM em feira de BlackBerrys

quinta-feira, 22 de abril de 2010 17:44 BRT
 

Por Susan Taylor

OTTAWA (Reuters) - A Research In Motion precisa dar indícios na próxima semana de que está perto de anunciar um BlackBerry mais simples se quiser convencer críticos de sua força competitiva.

Cada vez mais, surgem analistas afirmando que o iPhone da Apple e o Droid da Motorola, entre outros smartphones de concorrentes, devem continuar tomando a participação de mercado do Blackberry enquanto a RIM não apresentar sistema operacional e navegador melhores.

A questão aumenta as expectativas em relação à feira anual da RIM deste ano em Orlando, na Flórida. O evento, que ocorrerá entre os dias 27 e 29 de abril, deve atrair milhares de analistas, parceiros, programadores e consumidores do smartphone da empresa.

Muitos se perguntam se a RIM irá finalmente revelar novos aparelhos, e mesmo os fãs mais devotos reclamam da aparência e funcionalidade de um aparelho criado, fundamentalmente, para email. Analistas afirmam que a RIM poderia produzir smartphones mais atraentes acrescentando tecnologia multi-touch e outras detalhes de uso fácil conhecidos do iPhone.

Caso a RIM siga essa lógica, "creio que isso calará muitos críticos", disse o analista da Avian Securities, Matthew Thornton.

"A expectativa é de que eles não consigam competir com o mercado de luxo, então estão abaixando o preço cada vez mais até o ponto que não terão mais o que baixar, e isso terá implicações sobre sua lucratividade".

Enquanto a RIM enfrenta uma concorrência cada vez mais acirrada na América do Norte, a empresa investe no em mercados estrangeiros com crescimento acelerado, onde há preferência por seus smartphones mais baratos, mas ainda lucrativos.

A RIM afirmou que ainda é uma presença forte no mercado de consumo, mas analistas querem ouvir detalhes sobre como planeja ganhar essa briga. Seus esforços para aumentar o número de aplicativos que funcionam em seus aparelhos, por exemplo, é uma parte chave dessa estratégia, e uma em que fica muito atrás da bem sucedida Apple.

(Reportagem adicional de Nicole Mordant em Vancouver)