Net tem tombo de 62% no lucro do 1o trimestre

quarta-feira, 28 de abril de 2010 15:11 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Net, maior empresa de TV paga do Brasil, viu seu lucro líquido cair 62 por cento nos três primeiros meses do ano em relação ao mesmo período de 2009, afetada pela desvalorização do real que impactou o resultado financeiro da empresa no período.

A companhia teve lucro líquido de 46 milhões de reais de janeiro a março, contra ganho de 120 milhões de reais um ano antes. No quarto trimestre de 2009, o lucro havia sido de 305,8 milhões de reais.

Apesar da piora no resultado, operacionalmente a companhia registrou incremento anual de 20 por cento no volume total de serviços vendidos, chamado pela empresa de unidades geradoras de receita. Enquanto isso, a receita média por domicílio (arpu) cresceu 1 por cento, a 134,63 reais, incentivada por aumento no número de clientes de TV de alta definição.

"Ressaltamos que o número de adições líquidas permaneceu em um patamar bastante inferior ao primeiro trimestre de 2009, indicando um arrefecimento no crescimento da base de assinantes da companhia", afirma em relatório a analista Beatriz Battelli, da corretora Brascan, mantendo recomendação "outperform", acima da média do mercado.

Enquanto isso, a corretora Link afirma em relatório que "apesar do cenário de competição acirrada e desaceleração no crescimento da banda larga e assinantes de TV por assinatura, o forte desconto dado aos papeis da Net recentemente não seja justificado".

As ações da Net recuavam 2,3 por cento às 14h52, enquanto o Ibovespa exibia valorização de 0,3 por cento.

A operadora encerrou o trimestre com crescimento anual de 13 por cento na base de clientes de TV por assinatura, para 3,776 milhões. Os clientes de banda larga se expandiram em 22 por cento, para 2,988 milhões, enquanto os serviços de telefonia viram expansão de 29 por cento nas linhas em serviço, para 2,66 milhões.

Segundo o vice-presidente financeiro, João Elek, a companhia seguirá focando nas 93 cidades onde já atua, apesar do momento de forte crescimento do país. Para operar em uma cidade, a empresa precisa adquirir licenças e "a empresa está atenta a oportunidades de aquisição", afirmou o executivo.

O orçamento de investimentos da companhia este ano é de 1,2 bilhão de reais após 1,1 bilhão aplicados em 2009. Do total de investimentos, 200 milhões serão usados em atividades de expansão da base de clientes, mas o executivo não citou metas.   Continuação...