Intel reformula plataforma Atom para avançar em smartphones

quarta-feira, 5 de maio de 2010 09:50 BRT
 

Por Tarmo Virki

HELSINQUE (Reuters) - A Intel apresentou uma nova versão de sua plataforma de chips Atom, prometendo menor consumo de energia, preço mais baixo e tamanho menor, buscando obter uma fatia do mercado de celulares inteligentes.

"A Intel entregou seu primeiro produto que está abrindo as portas... no segmento de celulares inteligentes", afirmou Ananda Chandrasekher, gerente geral do grupo de mobilidade da Intel, em comunicado nesta quarta-feira.

A Intel planeja conquistar uma posição no mercado de celulares, conforme fez no segmento de netbooks, que ela domina quase completamente agora.

A empresa afirmou que a nova plataforma é voltada a diversos aparelhos de computação, entre eles, celulares inteligentes mais sofisticados, tablets e outros produtos móveis.

Analistas, no entanto, apontam para uma batalha árdua contra Nvidia, Marvell e Qualcomm, que já estão avançando nesse segmento com processadores mais baratos e de baixo consumo de energia com base em projetos da ARM Holdings.

A Intel concordou em combinar seu sistema operacional Moblin Linux ao Maemo, da Nokia, algumas semanas atrás, em um acordo que deve abrir caminho para o uso de chips Intel nos aparelhos da maior fabricante mundial de celulares.

Analistas haviam afirmado anteriormente que as plataformas de chips exigiam muita energia para os equipamentos eletrônicos portáteis e celulares, se comparadas a plataformas rivais baseadas na estrutura da ARM.

A Intel anunciou que havia conseguido reduzir em cerca de 50 vezes o volume de energia utilizado pelo chip quando em modo de espera, e Chandrasekher disse à Reuters no ano passado que o consumo de energia está "muito próximo" ao dos rivais e quase os acompanha.

A duração da bateria --que é seriamente afetada por telas grandes e processadores poderosos-- é um dos indicadores mais importantes do setor de celulares. No ano passado, um executivo da Nokia disse que a ARM estava "milhas e milhas" à frente da Intel em administração de energia.