Lucro da Sony deve superar projeção por corte de custos

segunda-feira, 10 de maio de 2010 10:23 BRT
 

Por Kiyoshi Takenaka

TÓQUIO, 10 de maio (Reuters) - A Sony anunciou nesta segunda-feira que provavelmente registrou lucro no ano fiscal passado, superando projeções e contrariando expectativas de prejuízo. O desempenho sinaliza que as rigorosas medidas de corte de custos estão dando resultado.

Mas analistas estão concentrados na capacidade da Sony em mudar de rumo durante a reestruturação para reconquistar crescimento de vendas. Os resultados da rival japonesa Panasonic também superaram as projeções para a empresa no ano fiscal passado.

O anúncio de lucro não causou grande surpresa entre investidores, porque a mídia local já havia reportado que a Sony sairia do vermelho.

A Sony cortou empregos e fechou fábricas com a desaceleração da economia mundial e trabalhou para reforçar a divisão de televisores de tela plana em meio à feroz concorrência com a Samsung Electronics e outros rivais.

No ano passado, o presidente-executivo da Sony, Howard Stringer, havia adiado a difícil volta da empresa aos lucros para o ano fiscal que se encerrará em março de 2013.

Stringer, que assumiu o comando da Sony em 2005 prometendo crescimento; aposta na transição para os televisores 3D com a avaliação de que isso provavelmente beneficiará diversas das operações do grupo, que incluem TVs, câmeras digitais, players de DVD Blu-ray e videogames.

"O mais importante agora são as perspectivas de lucro para este ano, porque os investidores não conseguem decidir sobre as ações tendo por base apenas o desempenho passado da empresa", disse Mitsushige Akino, vice-presidente de gestão de fundos na Ichiyoshi Investment Management.

"A companhia provavelmente anunciará dados conservadores para este ano, abaixo das expectativas de mercado devido à queda do euro e ao fato de que a situação instável do mercado de câmbio deve perdurar", acrescentou.

O conglomerado de produtos eletrônicos e entretenimento deve divulgar na quinta-feira resultados anuais e projeções para o atual ano fiscal, que se encerra em março de 2011.