China Unicom eleva subsídio ao iPhone para estimular vendas

quarta-feira, 12 de maio de 2010 09:55 BRT
 

Por Kelvin Soh e Fion Li

HONG KONG (Reuters) - A China Unicom, segunda maior operadora chinesa de telefonia móvel, vai elevar subsídios oferecidos para compra do iPhone por seus clientes para estimular a demanda, o que pode deflagrar uma guerra de preço entre as operadoras.

As vendas do iPhone estão lentas desde que a China Unicom se tornou a primeira operadora local de telefonia móvel a oferecer esse celular inteligente na China continental, o que desperta dúvidas quanto ao cumprimento de sua meta de obtenção de 10 milhões de novos assinantes de serviços 3G este ano.

"A China Unicom vem conquistando menos de um milhão de novos assinantes ao mês", disse Victor Yip, analista da UOB Kay Hian, em Hong Kong. "Precisa elevar seu ritmo de adesão, e rápido, porque os concorrentes continuam firmes."

A China Unicom conquistou 2,1 milhões de novos usuários de serviços 3G no primeiro trimestre de 2010, atingindo a marca dos 4,8 milhões de assinantes, o que representa crescimento mais lento que o a da rival China Mobile, uma companhia de maior porte que conquistou 4,3 milhões de novos usuários, atingindo a marca dos 7,7 milhões.

A China Unicom anunciou que investirá até 5 bilhões de iuans (735 milhões de dólares) em subsídios à venda de celulares este ano, a fim de atrair novos usuários de serviços 3G. Esta semana, a companhia anunciou planos para começar a vender o celular inteligente LePhone, da fabricante de computadores Lenovo.

"Alguns dos planos mensais de 3G, que custavam 96 iuans, tiveram seu preço reduzido a 66 iuans, o que deve ajudar no crescimento de nossa base de assinantes", disse Lu Yu-min, diretor geral da China Unicom, a repórteres depois da assembleia geral de acionistas da empresa, quarta-feira.

Os subsídios ampliados ajudaram as vendas, disse Lu, com alta no número de iPhones vendidos depois do corte de preços.

As três operadoras chinesas de telefonia móvel investiram 21 bilhões de dólares no desenvolvimento de suas redes 3G em 2009, e estão ansiosas para recuperar o dinheiro ao conquistarem mais usuários de serviços de dados para compensar a queda na receita com serviços de voz.