Setor de publicidade busca novas regras para o mercado

quarta-feira, 12 de maio de 2010 17:12 BRT
 

Por Conor Humphries

MOSCOU (Reuters) - A indústria de publicidade precisa se adaptar a um novo ambiente pós-crise, um mundo em que o foco está na Ásia e o mais importante será ganhar a simpatia do consumidor, e não apenas bombardeá-lo com uma mensagem, afirmaram líderes globais do setor nesta quarta-feira.

As grandes economias dos Estados Unidos e de partes da Europa estão aos poucos retomando o crescimento, amenizando as perdas do mercado de publicidade sofridas ao longo dos últimos dois anos.

Mas os principais chefes da indústria de publicidade e marketing, em Moscou para o encontro da Associação Internacional de Publicidade, admitiram que terão que investir em novos mercados e em modelos de negócios mais inovadores para voltar aos níveis de lucratividade da época do boom publicitário.

"Um dia, iremos olhar para trás e ver esta grande recessão como o momento em que reinicializamos a máquina e nos recalibramos", disse o chefe de marcas da Procter & Gamble, maior anunciante do mundo. "Estamos em um momento crítico".

"Precisamos nos acostumar a um mundo que caminha em diferentes velocidades", disse Martin Sorrell, presidente-executivo da maior agência de publicidade do mundo em receita, a WPP, durante o encontro.

Em países como China e Rússia, em que publicidade e um setor privado são coisas recentes, as agências encontram um lugar para recomeçar com muitos desafios, mas ótimas oportunidades, segundo Sorrell.

"Especialmente aqui (na Rússia), na China e no Brasil ... mídias móveis permitiram que esses países tivessem um desenvolvimento muito mais acelerado do que foi visto no Ocidente".

Em todo o mundo, o crescimento implacável das mídias digitais irão forçar as empresas a se adaptarem rapidamente a empresas jovens como Google, que suplantaram monopólios antigas em poucos anos.   Continuação...