Premiê português diz que fatia na Vivo é estratégica a Portugal

segunda-feira, 17 de maio de 2010 14:36 BRT
 

MADRI, 17 de maio (Reuters) - Portugal tem um interesse estratégico em evitar uma redução do alcance global da Portugal Telecom, como aconteceria se a companhia vendesse sua participação na operadora celular brasileira Vivo, afirmou o primeiro-ministro português, José Sócrates, nesta segunda-feira.

O alcance da Portugal Telecom em países de língua portuguesa é um ativo para Portugal e fundamental para o desenvolvimento de sua própria estratégia de pesquisa e desenvolvimento, explicou Sócrates quando perguntado o que pensava da recente rejeição da Portugal Telecom sobre a oferta da Telefónica de 5,7 bilhões de euros (7 bilhões de dólares) pela sua fatia na Vivo.

"Portugal tem um interesse estratégico em ter um grupo de telecomunicações grande, não só em Portugal mas também em outros países, porque só uma empresa com essa dimensão e escala pode nos desenvolver em termos de investimento em pesquisa e desenvolvimento", disse Sócrates, numa conferência em Madri.

A Telefónica, que detém cerca de 10 por cento da Portugal Telecom, está pressionando a empresa a deixar seus acionistas votarem a sua oferta.

Sócrates disse que a Portugal Telecom é um trunfo para Portugal e as relações de Portugal com suas ex-colônias.

"Portugal tem ... uma relação especial com os países de língua portuguesa: Brasil, Angola, e o resto ... Muito pode mudar no mundo, mas uma coisa é certa: a ascensão do Brasil."

O governo português mantém uma golden share na Portugal Telecom que lhe permite vetar decisões importantes do antigo monopólio estatal de telecomunicações.