Uso corporativo de iPhones cresce a pedido de funcionários

sexta-feira, 21 de maio de 2010 13:33 BRT
 

Por Chelsea Emery

NOVA YORK (Reuters) - Os celulares inteligentes BlackBerry são parte do equipamento constante dos viajantes de negócios, mas existem sinais de que o iPhone, da Apple, está conquistando espaço nas empresas e junto aos seus dirigentes.

A companhia farmacêutica AstraZeneca começou a testar o iPhone para alguns de seus principais executivos, e o banco britânico Standard Chartered deu aos seus funcionários que usam o BlackBerry a opção de adotar o iPhone, o que pode levar milhares de trabalhadores da empresa a começar a usar o aparelho da Apple para suas necessidades de trabalho móveis.

"Recebemos muitos pedidos de trabalho com o iPhone nos Estados Unidos e na região Ásia-Pacífico", disse o arquiteto de mobilidade da AstraZeneca, Michael Reid, que ajuda a organizar as comunicações empresariais da companhia.

"Em termos de consumo do meu tempo, esse é um dos pedidos mais frequentes."

A demanda parecia especialmente fervorosa no final de dezembro, depois que muitos funcionários de empresas ganharam iPhones de presente na temporada de festas.

O BlackBerry continua dominante. Especialistas em tecnologia mencionam os recursos firmes de segurança do aparelho da Research In Motion (RIM) e a facilidade de coordenar seus aplicativos "altamente sólidos", tais como o programa de e-mail e a agenda eletrônica do aparelho.

Os embarques do BlackBerry superaram os do iPhone em 20 por cento no primeiro trimestre do ano, segundo dados do grupo de pesquisa iSupply.

"Não estamos considerando mudar para o iPhone como aparelho primário, no momento, porque o BlackBerry oferece muito mais controle e gestão dos aparelhos individuais, por meio de um servidor central", afirmou o diretor de tecnologia da informação da Morningstar, John Tipton, em mensagem de e-mail. "Mas, mesmo assim, sabemos que mais e mais iPhones serão usados."

Uma porta-voz da RIM afirmou que a empresa preferia não comentar o assunto, mencionando o "período de silêncio" antes da divulgação de seus resultados trimestrais.

Mas apontou para estatísticas divulgadas anteriormente, segundo as quais a companhia embarcou mais de 90 milhões de celulares inteligentes BlackBerry e sua base de usuários cresceu em 65 por cento no ano fiscal de 2010.