Canon congela desenvolvimento de TVs SED para uso doméstico

terça-feira, 25 de maio de 2010 10:03 BRT
 

Por Nobuhiro Kubo e Kiyoshi Takenaka

TÓQUIO, 25 de maio (Reuters) - A Canon cancelou oficialmente um projeto de desenvolvimento de um novo tipo de televisor de tela plana para uso doméstico que vinha sofrendo grandes atrasos. A decisão destaca a dificuldade da empresa em cultivar novas fontes de crescimento de receita.

A Canon, que disputa com a Sony e a Nikon o mercado de câmeras e com a Xerox e a Ricoh o mercado de copiadoras e impressoras, continuará a desenvolver os televisores SED para uso comercial, por exemplo, em equipamentos médicos.

A maior fabricante mundial de câmeras digitais começou a desenvolver os televisores com tecnologia SED, sigla para superfície condutora emissora de elétrons, há uma década, mas encontrou dificuldades em realizar lucros com esses modelos devido à queda acentuada nos preços dos televisores com telas de cristal líquido (LCD), afirmou um porta-voz da Canon nesta terça-feira.

Os painéis SED eram vistos como uma promissora tecnologia devido à alta resolução e eficiência no consumo de energia. Mas os agressivos cortes de custos adotados pelos fabricantes de painéis LCD e de plasma, estimulados por acentuadas quedas de preços, geraram dúvidas sobre a viabilidade comercial da nova tecnologia.

"A Canon vinha criando um novo pilar de receita a cada 10 anos, a exemplo das copiadoras, impressoras e câmeras digitais, e o produto para os anos 2000 deveriam ter sido os televisores", disse Hisashi Moriyama, analista do JPMorgan.

"Não seria exagero classificar a década passada como década perdida no que tange à expansão de receita por meio de um novo produto", acrescentou.

Moriyama disse que os próximos propulsores de crescimento da Canon podem incluir seus robôs industriais e atividades de fusão e aquisição no segmento de máquinas para escritórios. No começo do ano, a Canon adquiriu a Oce, uma fabricante holandesa de impressoras, reforçando sua linha de produtos.

A empresa não planeja contabilizar como prejuízo os investimentos relacionados ao desenvolvimento das telas SED, disse o porta-voz.   Continuação...