Microsoft aposta em setor móvel e games após alterações

segunda-feira, 31 de maio de 2010 16:22 BRT
 

Por Bill Rigby

SEATTLE (Reuters) - As alterações executivas da Microsoft na chefia de suas unidades móvel e de games, na semana passada, além de darem maior controle ao presidente-executivo da companhia Steve Ballmer sobre as iniciativas de concorrência com Apple e Google, também revelaram sua determinação em seguir a moda no mercado de computação.

Poucos esperam que as mudanças transformarão o setor de entretenimento e aparelhos da Microsoft em líder de mercado, superando iPhones e Wiis do dia pra noite. Mas a Microsoft --famosa por boas reservas e sua capacidade de absorver novas tecnologias-- não vai parar de investir nos setores de móveis e videogames.

"O fracasso não é uma opção", disse o analista do setor de tecnologia da McAdams Wright Ragen, Sid Parakh. "O Android e o iPhone estão bem na frente, será uma batalha difícil. Mas é algo que precisam fazer".

Anos atrás, a Microsoft decidiu focar seus negócios futuros no que chamou de "três telas e uma nuvem" --televisão, computador e telefone, todos conectados por meio da Internet.

"O setor móvel é uma parte essencial disso", disse Parakh. "Estamos todos cada vez mais ligados a nossos aparelhos móveis".

A fabricante de softwares tem que brigar para conseguir retomar a liderança no mercado de smartphones, após cair para o quinto lugar, atrás dos sistemas operacionais Android, do Google, o iPhone da Apple, o BlackBerry da RIM e o Symbian da Nokia.

O novo Windows Phone 7, que começa a surgir em aparelhos novos em meados do ano, pode ser a última chance para a Microsoft se manter nos corações e mentes de consumidores com as formas de computação em constante mutação.

As pessoas estão usando cada vez mais seus smartphones, que geralmente não operam com o Windows, e cada vez menos seus PCs, que na grande maioria ainda operam com o Windows. O iPad da Apple --lançado em outros nove países fora dos EUA na quinta-feira-- já se tornou um bestseller, e fabricantes de hardware estão correndo atrás do sucesso do tablet com seus próprios aparelhos, muitos dos quais não usarão o Windows como sistema operacional.   Continuação...