HP fará corte líquido de 3.000 vagas em 3 anos

terça-feira, 1 de junho de 2010 14:23 BRT
 

NOVA YORK, 1o de junho (Reuters) - A Hewlett-Packard planeja ampliar margens de lucro por meio de cortes de empregos e realocação de investimentos em serviços de tecnologia mais lucrativos. A estratégia é marcada por uma eliminação líquida de 3.000 postos de trabalho, ou 1 por cento dos quadros da empresa, em três anos.

O plano vai custar 1 bilhão de dólares e surge enquanto rivais como IBM, Cisco disputam a liderança no lucrativo mercado de montagem e administração de centros de processamento de dados de empresas capazes de lidar com comunicações e armazenamento de enormes montanhas de dados.

A HP fez uma grande incursão no mercado de serviços de tecnologia com a aquisição da EDS em 2008 por 14 bilhões de dólares e afirmou nesta terça-feira que o plano anunciado é mais uma tentativa de impulsionar sua divisão de negócios voltados a empresas.

"Nos últimos 20 meses, estivemos focados na integração da EDS e na melhoria da lucratividade", afirmou Tom Iannotti, vice-presidente sênior e gerente-geral da divisão Enterprise Services da HP. "Agora que a integração está praticamente completa, identificamos significativas oportunidades para expandirmos os negócios."

A HP planeja cortar 9 mil empregos em três anos com o fechamento de centros mais antigos de processamento de dados. Mas a companhia também criará 6 mil posições no mesmo período ao investir em centrais de dados mais avançadas e na expansão de operações globais. A companhia atualmente emprega 304 mil funcionários no mundo e é a maior empresa de tecnologia do mundo em vendas.

A HP afirmou que os novos centros de processamento terão computadores mais poderosos que ajudarão clientes a executar aplicações complexas. As centrais também terão infraestrutura mais automatizada. A maior parte das contratações acontecerá nas áreas de vendas e serviços.

Em termos líquidos, a empresa espera economizar entre 500 milhões e 700 milhões de dólares anualmente até o fim do ano fiscal de 2013.

Sob o comando do presidente-executivo Mark Hurd, a HP tem cortado custos enquanto tem buscado aquisições bilionárias para operar em negócios com margens mais elevadas.

A HP acertou no ano passado a compra da fabricante de equipamentos de rede 3Com por 3 bilhões de dólares, passando a competir diretamente com a Cisco.

(Por Ritsuko Ando e Franklin Paul)