Operários de fábrica do iPhone na China terão 30% de aumento

quarta-feira, 2 de junho de 2010 09:37 BRT
 

LONGHUA, China (Reuters) - Os operários da linha de produção da Foxxconn, em seu complexo industrial no sul da China, terão seus salários reajustados em 30 por cento. A Apple, uma das maiores clientes da empresa, recentemente classificou como perturbadores os suicídios no complexo, mas disse que os operários "não são explorados."

A sucessão de mortes no complexo atraiu atenção para as condições de trabalho em uma região que vem passando por crescente inquietação trabalhista. Em seus primeiros comentários públicos sobre o problema, Steve Jobs, presidente-executivo da Apple, expressou preocupação.

"É uma situação difícil," disse Jobs na terça-feira, durante a conferência All Things Digital, na Califórnia. "Estamos tentando compreender a situação no momento, antes de sairmos dizendo que conhecemos a solução."

A Hon Hai, fabricante terceirizada de eletrônicos em Taiwan e controladora da Foxconn, declarou nesta quarta-feira que os salários aumentariam em 30 por cento imediatamente, o que supera o aumento de 20 por cento que a empresa havia mencionado no final do mês passado.

A companhia disse que o aumento maior que o previsto reflete a alta dos preços na China e que espera, com isso, conquistar o respeito dos operários e gerar ganhos de eficiência.

O aumento foi anunciado no mesmo dia em que a japonesa Honda Motor ofereceu um reajuste salarial de 24 por cento para encerrar uma greve violenta em uma fábrica de autopeças instalada em uma região conhecida como "oficina do mundo".

"(A Foxconn) precisa agir assim como uma medida mais agressiva para impedir que a reputação da empresa seja mais prejudicada. Mas é improvável que tudo se acalme devido ao aumento," disse Sean Chen, que responde pela administração de um fundo de investimento de 16 bilhões de dólares taiuaneses (500 milhões de dólares) na Cathay Securities Investment Trust, em Taipei.

"A decisão certamente aumentará a pressão sobre outras indústrias instaladas no sul da China. Mas é bom ter em mente que a política da China vem sendo a de promover uma melhora nos salários dos operários do país. A única diferença é que o incidente na Foxconn pode ter acelerado o processo," acrescentou.

(Por Argin Chang, Roger Tung, Kelvin Soh e Faith Hung)