Minoritários da Brasil Telecom negam troca de ações com Oi

quarta-feira, 16 de junho de 2010 13:58 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Os acionistas minoritários da Brasil Telecom não aceitaram em assembleia realizada nesta quarta-feira a nova proposta de relação de troca de ações da empresa por papéis da Oi, em um revés para os planos de simplificação societária do grupo de telecomunicações.

"Tendo em vista a rejeição das novas relações de substituição, as companhias informam que a simplificação societária... está suspensa por prazo indeterminado", informaram as empresas em fato relevante à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

As ações ordinárias da BrT reagiam à notícia em forte baixa. Às 13h50, esses papéis --que não integram a carteira teórica do Ibovespa-- recuavam 9,19 por cento, para 16,70 reais.

Já as preferenciais da BrT perdiam 3,20 por cento, a 12,10 reais. A ação preferencial da Oi apresentava a maior queda dentro do Ibovespa, com desvalorização de 3,96 por cento, a 28,84 reais, frente à alta de 0,21 por cento do índice. Em seguida aparecia a preferencial da Telemar Norte Leste, com queda de 3,49 por cento, a 53,66 reais.

A troca de ações da BrT por papéis do grupo Oi era a última etapa do processo de reorganização societária prevista na operação anunciada em abril de 2008, quando a Oi revelou acordo para compra do controle da BrT.

Em janeiro deste ano, por conta de contingências judiciais imprevistas na BrT, as duas empresas concordaram em rever a relação de substituição de ações no processo de incorporação pela Oi. Após o levantamento de uma auditoria, os valores relativos a essas contingências no balanço da BrT quase dobraram, para 2,5 bilhões de reais.

Em 15 de janeiro, dia seguinte ao anúncio de que a relação de troca de ações da BrT por Oi seria revisada, as ações da BrT tiveram queda expressiva.

Em março, a Oi anunciou uma nova relação de substituição a ser deliberada na assembleia da BrT desta manhã, de 0,3955 ação ordinária da Telemar para cada ação ordinária da BrT (de 0,4137 ação anteriormente) e de 0,2191 ação preferencial classe C da Telemar para cada ação preferencial da BrT (de 0,2531 anteriormente). Na ocasião, as ações de ambas as empresas também caíram.

(Reportagem de Alberto Alerigi Jr. e Rodolfo Barbosa)