June 24, 2010 / 4:59 PM / 7 years ago

Google avalia impacto de novas leis chinesas sobre produtos

3 Min, DE LEITURA

XANGAI (Reuters) - O Google está avaliando o impacto que as novas leis chinesas poderão ter sobre seu serviço Google Maps, que pode ser interrompido caso a companhia não atenda às exigências do governo local.

No mês passado, o Escritório Estatal de Pesquisa e Mapeamento da China anunciou novas regras exigindo que as empresas provedoras de serviços de mapas e localização solicitem uma licença.

Para terem direito a uma licença, as empresas deverão manter servidores de armazenamento de dados dos mapas no país, além de não terem registro de vazamento de informações nos últimos três anos, informou o China Daily.

A regulação dará à China o direito de fechar provedores que não estiverem qualificados para obter a licença, segundo publicou o jornal nesta quinta-feira.

De acordo com analistas, o Google não deve atender a essas exigências.

Em março, o gigante de buscas na Internet anunciou a mudança de seus servidores da China para Hong Kong, após uma longa batalha contra as regras de censura em Pequim.

A companhia com sede nos Estados Unidos também admitiu, em maio, que seus veículos utilizados para capturar imagens de ruas em todo o mundo haviam acidentalmente coletado dados pessoais por meio de redes sem fio.

"Não está claro se o Google pode cumprir os requisitos estabelecidos pelas autoridades chinesas", disse o presidente-executivo da empresa de pesquisas Analysys International, Edward Yu, em Pequim.

Outros produtos e serviços da empresa, como Google Groups, YouTube e Blogger, já são bloqueados na China.

"A China implantou recentemente regras abrangentes relacionadas a mapas virtuais. Estamos avaliando o regulamento para entender seu impacto sobre nossos produtos naquele país", afirmou uma porta-voz do Google, por e-mail.

O Google não informou se havia apresentado um pedido de licença.

A empresa líder de buscas online na China, Baidu, afirmou ter solicitado uma licença para seu serviço de mapas e espera ter um retorno das autoridades no início de julho.

Conforme o China Daily, o escritório chinês aprovou licenças para 18 empresas nacionais e diversas internacionais que as solicitaram.

Por Melanie Lee

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below