Portugal Telecom pedirá parecer de veto de Lisboa sobre Vivo

quarta-feira, 30 de junho de 2010 19:48 BRT
 

LISBOA (Reuters) - O Conselho de Administração da Portugal Telecom pedirá pareceres jurídicos para esclarecer alguns aspectos legais relativos à assembleia geral desta quarta-feira, na qual o governo português vetou a oferta da Telefónica pela Vivo.

A Portugal Telecom adiantou que, "tendo a Telefónica prorrogado a atual oferta nos termos revistos no dia 29 de junho até 16 de julho, será agendada uma nova reunião do Conselho de Administração uma vez obtidos os referidos pareceres".

"Na sequência da assembleia geral, o Conselho de Administração da Portugal Telecom reuniu-se para analisar o resultado da mesma, tendo considerado ser necessário clarificar determinados aspectos legais, pelo que irão ser solicitados pareceres jurídicos", informou a Portugal Telecom em comunicado ao mercado.

O grupo português ressaltou que na assembleia desta quarta-feira "cerca de 74 por cento dos votos expressos foram favoráveis à aceitação da oferta" de 7,15 bilhões de euros da Telefónica para adquirir os 50 por cento que a Portugal Telecom detém na Brasilcel, holding que controla a Vivo, maior operadora de telefonia móvel do Brasil.

No entanto, o governo português, através da golden share que detém na Portugal Telecom, votou contra a proposta, "tendo o presidente da mesa da assembleia geral considerado que a presente deliberação não poderia ser aprovada.

O novo prazo da oferta da Telefónica termina oito dias após o provável anúncio de decisão do Tribunal de Justiça da União Europeia sobre a validade da golden share. Espera-se que o tribunal concorde com a Comissão Europeia e considere a golden share ilegal, extinguindo as ações com direitos especiais em várias empresas europeias.

(Por Elisabete Tavares)