Alternativa à venda da Vivo poderia prejudicar acionistas da Portugal Telecom

sexta-feira, 9 de julho de 2010 11:06 BRT
 

Por Elisabete Tavares

LISBOA (Reuters) - A Portugal Telecom e a Telefonica poderão chegar a uma solução para a brasileira Vivo em breve, mas uma saída alternativa à atual oferta de 7,15 bilhões de euros da espanhola pode ser pior para os acionistas da empresa portuguesa, segundo analistas.

"Pensamos que o valor para os acionistas da Portugal Telecom e da Vivo de uma solução alternativa a este 'bid' pode ser significativamente menor do que o implícito na oferta da Telefonica", segundo a Bernstein, que cortou a recomendação da Portugal Telecom para 'underperform' e baixou o preço-alvo de 9,5 euros para 7 euros.

"Para os acionistas da Portugal Telecom seria melhor a oferta já em dinheiro, porque diminui o risco. Isso seria o ideal. Para a empresa, talvez não fosse tão positivo porque perderia dimensão", disse Pedro Pinto Oliveira, analista do BPI.

O analista não acredita que "haja muito mais a ganhar do que os 7,15 bilhões de euros oferecidos pela Telefonica".

A venda da participação da Portugal Telecom na Vivo à Telefonica foi vetada por Lisboa, que usou a sua 'golden share' na telecom portuguesa contra a vontade de 74 por cento dos votos expressos na Assembleia Geral, mas na quinta-feira a 'golden share' foi considerada ilegal pelo Tribunal Europeu de Justiça (TJE).

A Portugal Telecom e a Telefonica já se mostraram disponíveis a negociar uma solução para a maior operadora de telefonia móvel do Brasil, e os analistas esperam um anúncio possivelmente antes de 16 de julho, data em que expira a oferta da espanhola.

O ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Pedro Silva Pereira, disse que o governo português vai respeitar a decisão do TJE, mas quer salvaguardar o interesse nacional.

O Executivo tem dito que é estratégico que a Portugal Telecom mantenha a sua atual dimensão e escala global, que passa pela manutenção da presença no Brasil.   Continuação...