Consumer Reports não recomendará iPhone 4 a usuários

segunda-feira, 12 de julho de 2010 18:46 BRT
 

SAN FRANCISCO (Reuters) - A Consumer Reports não vai recomendar o iPhone 4, da Apple, a compradores após testar e confirmar falhas no sinal de rede sem fio do amplamente divulgado aparelho, acrescentando que a operadora norte-americana AT&T não é necessariamente a principal culpada.

A organização sem fins lucrativos, que publica guias sobre tudo, de carros a TVs, disse em relatório divulgado nesta segunda-feira que testou três modelos de iPhone 4 e de outros telefones --incluindo o iPhone 3GS e o Pre, da Palm-- e descobriu que nenhum apresentava os problemas de perda de sinal do mais recente iPhone.

O documento marcou o mais recente golpe em um aparelho que vendeu 1,7 milhão de unidades em três dias, mas que vem sendo alvo de reclamações sobre a fraca recepção de sinal. Muitas das reclamações envolvem uma antena que, segundo comentado, reduz a força do sinal se tocada de certa maneira.

A companhia tem sido acionada por usuários do iPhone em pelo menos três tipos de reclamação relacionadas a problemas com a antena.

"Quando seu dedo ou mão tocam a parte inferior do lado esquerdo do telefone --algo fácil de acontecer, especialmente para canhotos--, o sinal pode cair o suficiente para provocar a completa perda da conexão se você estiver em uma área com sinal fraco", disse Mike Gikas, da Consumer Reports, em um relatório no site do grupo.

"Por causa desse problema, não podemos recomendar o iPhone 4."

Representantes da Apple não estavam imediatamente disponíveis para comentários.

Devido aos problemas de sinal, que podem derrubar uma ligação, a Consumer Reports recomendou cobrir o espaço na antena com uma fita isolante ou algum outro material que não conduza eletricidade.

A organização também disse que seus testes indicaram que a rede da AT&T não é a principal responsável pelos tão falados problemas de recepção de sinal do iPhone 4.

A Apple vem afirmando que quase nenhum celular sofrerá uma perda de final caso o aparelho seja tocado de certos modos. A empresa afirmou depois que havia descoberto uma falha no software que amplifica a força do sinal, embora a companhia não tenha diretamente tratado das preocupações sobre a antena.

(Reportagem de Carolina Madrid)