Rússia e Alemanha continuam a negociar sobre Infineon

terça-feira, 13 de julho de 2010 14:42 BRT
 

BERLIM, 13 de julho (Reuters) - A Rússia continua a conversar com o governo alemão sobre a aquisição de uma participação acionária na fabricante alemã de chips Infineon, e novas negociações estão planejadas, anunciou um funcionário do governo alemão na terça-feira.

Um oferta russa para adquirir 29 por cento da Infineon por meio da holding Sistema vinha sendo mencionada desde o final de 2009, embora os detalhes quanto à frequência e profundidade das discussões e sobre a maneira pela qual um acordo poderia ser estruturado permanecessem opacos.

"Haverá negociações de alto nível nos próximos meses", declarou o funcionário, que recusou permissão para que seu nome fosse mencionado.

Um porta-voz da Infineon declarou, no entanto, que "não existem negociações". Ainda que qualquer pessoa possa adquirir ações na empresa, disse o porta-voz, a lei de comércio estrangeiro da Alemanha se aplicaria a todas as tentativas de adquirir participação na Infineon.

A lei de comércio estrangeiro alemã permite que o governo proíba ou restrinja a participação de investidores estatais e privados estrangeiros a um máximo de 25 por cento das ações ordinárias de uma empresa. A legislação foi criada de maneira a proteger empresas alemãs contra a tomada de controle por estrangeiros.

Em resposta às notícias sobre as negociações, as ações da Infineon subiram 4 por cento, superando a alta do índice alemão de ações de primeira linha, o DAX, que subiu em 1,8 por cento.

Em dezembro de 2009, o presidente do conglomerado alemão Siemens anunciou que sua empresa estava discutindo a possibilidade de se associar ao Estado russo na aquisição de uma participação acionária na Infineon.

A Rússia deseja diversificar sua economia para além do setor de recursos naturais, e a alta tecnologia é uma das prioridades do país.

O presidente russo, Dmitry Medvedev, anunciou recentemente que o governo russo estava considerando investir na Infineon.

A Sistema informou em setembro que havia considerado adquirir ações na emissão suplementar realizada pela Infineon, mas decidido em contrário, e que não tinha mais planos de adquirir esses ativos.