Positivo tem venda recorde de PCs para o 2o trimestre

segunda-feira, 26 de julho de 2010 09:28 BRT
 

SÃO PAULO, 26 de julho (Reuters) - A Positivo teve um desempenho recorde de vendas para um segundo trimestre, com alta de 8,3 por cento no volume de PCs comercializados em relação ao mesmo período do ano passado.

A companhia, líder do setor no país, vendeu 479,2 mil computadores no segundo trimestre, fechando os primeiros seis meses do ano com vendas de 905 mil computadores, crescimento anual de 18,2 por cento. Na comparação com o primeiro trimestre, as vendas de abril a junho foram 12,6 por cento maiores.

No segundo trimestre, a Positivo teve vendas totais de 301 mil computadores de mesa, 178 mil notebooks e 13,7 mil netbooks.

A receita líquida da empresa no segundo trimestre foi de 591,5 milhões de reais, contra 516,3 milhões de reais no mesmo trimestre de 2009, um crescimento de 14,6 por cento.

Da mesma forma como ocorreu no primeiro trimestre, a Positivo cita o crescimento em vendas para clientes de governo, que cresceram 41,3 por cento contra um ano atrás e 17,5 por cento sobre o primeiro trimestre, totalizando 128 mil computadores.

A estimativa é que sejam entregues para o mercado de governo mais de 350 mil PCs ainda neste ano, volume que já representa 140 por cento das vendas para o segmento em 2009.

As vendas de PCs no varejo também bateram recorde para o trimestre, com 335 mil máquinas comercializadas, alta de 2 por cento ante 2009.

"As perspectivas para o mercado de varejo são bastante promissoras. Segundo a última projeção para 2010, revisada pela IDC, o mercado de varejo brasileiro deverá registrar forte crescimento de 20,9 por cento em relação a 2009, e a taxa de crescimento anual composta projetada entre 2010 e 2014 será de 16,2 por cento", informa a empresa em comunicado.

O setor corporativo comprou menos no segundo trimestre, tanto no comparativo trimestral como no anual, com as vendas para o segmento ficando em 16,2 mil unidades, quedas de 9,5 e de 31,2 por cento, respectivamente.

(Por Rodolfo Barbosa)